Sonho da casa própria torna-se realidade para 124 famílias de Cambé e Jataizinho

Publicado em: Quinta-Feira, 23 de Abril de 2015
Fonte:



Notícias Cohapar


17/04/2015
Sonho da casa própria torna-se realidade para 124 famílias de Cambé e Jataizinho

"Nunca senti felicidade como essa que estou sentindo hoje. Nunca tive uma casa e agora vou ter!", foi assim que o aposentado Donizete Ferreira, de 58 anos, descreveu a emoção de receber as chaves da casa própria. Nesta sexta-feira (17) foram contempladas 124 famílias das cidades de Cambé e Jataizinho, na região Norte do estado.

Com investimentos de R$ 5 milhões, os empreendimentos, com 62 unidades em cada localidade, foram viabilizados graças à parceria do Governo do Paraná com o governo federal e prefeituras.

O presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, afirmou que a casa própria representa a segurança que uma família precisa. "A moradia é um símbolo para mostrar uma conquista, por isso é feita de cimento, pois é forte e consistente. Temos que agradecer ao governador Beto Richa que está fazendo no Paraná o que ninguém nunca fez na área da habitação", disse.

O prefeito de Jataizinho, Hélio Batista da Silva, disse que a entrega destas casas representa não só a realização do sonho das famílias, mas também de todos que batalharam pela concretização do empreendimento. "A emoção de cada um aqui é a minha também. Ter um lugar para morar é o objetivo de todas as famílias e vamos continuar trabalhando para atender ainda mais pessoas", declarou.

O deputado estadual Alexandre Curi participou da entrega em Jataizinho e disse que é uma alegria enorme participar do momento especial para as famílias. "Este é o maior programa habitacional da história do Paraná, comandado pelo governador Beto Richa, e quem ganha com isso é a população. Hoje pudemos ver a felicidade destas pessoas ao receberem as chaves de suas casas. A partir de agora elas terão uma nova oportunidade", destacou.

Vitor Hugo Dantas, coordenador da Região Metropolitana de Londrina, também participou da entrega das moradias na cidade de Jataizinho.

Cambé - Sessenta e duas famílias receberam as chaves da casa própria. Foram investidos R$ 2,5 milhões na construção do conjunto. O balanço na área de habitação aponta o atendimento de 1,2 mil famílias com investimentos de R$ 54,8 milhões no município desde 2011.

Segundo o prefeito de Cambé, João Pavinato, as moradias atenderão moradores que aguardavam há muitos anos pela conquista da casa própria. “São pessoas que há décadas sonham com esse momento, mas que nunca tiveram essa oportunidade. É preciso ressaltar todo o apoio que tivemos do governo do Estado e do governo federal, que tornaram esse projeto possível”, relatou.

O aposentado Donizete Ferreira, 58 anos, e a esposa Maria das Dores Simão da Silva, 54, moram com os dois filhos em uma casa de madeira há mais de 20 anos. Com o passar tempo, a moradia acabou se deteriorando. Eles contam que a ansiedade pela mudança é grande. "Nunca senti felicidade como essa que estou sentindo hoje. Nunca tive uma casa e agora vou ter. Vamos mudar o mais rápido possível", disse Donizete.

Sebastião Mariano, 70 anos, aposentado, e a mulher Luisa Cardoso Mariano, 67, dona de casa, moram em um barracão onde funcionava um depósito de madeira. Com o fechamento da empresa, eles corriam o risco de serem mandados embora a qualquer momento. "A gente estava numa agonia com medo de não ter para onde ir, mas graças a Deus agora temos a nossa casa", disse Sebastião.

O aposentado já trabalhou como boia fria, padeiro e jardineiro e contou que nunca conseguiu guardar dinheiro para comprar uma moradia. "Nossa vida não foi fácil, sempre trabalhei para sobreviver. Sonhamos muito com esse dia e agora não precisamos de mais nada, só curtir a vida nova", contou.

Jataizinho - Foram entregues as chaves para 62 famílias com investimentos de R$ 2,5 milhões. Na cidade, já são 111 famílias atendidas com moradias urbanas, rurais e titulação de imóveis. Até agora os investimentos em habitação são de R$ 3,4 milhões.

Flávia Kely de Oliveira, 37 anos, dona de casa, e o marido Constantino Souza Neto, 33 anos, pedreiro, moram com um filho em uma casa de dois cômodos emprestada e estão ansiosos pela mudança. "A situação estava precária, molhava tudo quando chovia e não tinha conforto. Agora será uma vida nova", disse Flávia.

Ela ainda afirmou que não teria condições de construir uma moradia sozinha. "Nossa renda é baixa, se fosse pra gente fazer seria no máximo um barraquinho, mas nunca uma casa como essa", disse.

Josiane Silvério da Silva, 36 anos, trabalha com confecção de cigarros de palha e vai morar com os cinco filhos na nova casa. Eles vivem em um puxadinho com três peças e todos dormem no mesmo quarto.

"É muito ruim porque não temos privacidade e também a situação da casa é muito precária, tem uns pedaços caindo", afirmou Josiane, que disse ainda que está muito feliz, pois está realizando o maior sonho da vida dela que é ter uma casa própria.